20 de janeiro de 2011

VONTADE DE AMAR







Vontade de amar

 
 


 
no corpo o desejo

desassossega-se – octógonas fantasias

brindam a maresia



eu, um ser do

evocativo amor – o absoluto

amor a repicar em meus orifícios



e necessariamente

antes do por do sol

quero riscar o meu fósforo

no teu corpo



juntos;

no desenlear

do cotidiano

sermos estrelas



o poeta fala

que o céu é

onde o amor

se constrói e se sente







©by Albert Araújo

20-01-11



post também no site oficial:
 
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário