31 de dezembro de 2010

Albert Araújo meu espaço literário FILME DA POESIA A PROSTITUIÇÃO DA...

Vangelis - Chariots of Fire

Merry Cristmas! - John Lennon

29 de dezembro de 2010

AMAR É DIVINO








Amar é divino




Amar é divino:
os anjos falam – os homens obedecem

falam palavras imortais
porque somos o fogo, a terra
o ar e a água da vida

Amar é divino
lua pintada – lâmina cortando os poros
e dilatando porcelanas

E mais
o coração conhece o amor
o mesmo amor
que forja
as estrelas e amolece o sol


ALBERT ARAÚJO
29-12-10

site oficial

www.albertaraujo.recantodasletras.com.br

28 de dezembro de 2010

AS ÁGUAS DO RIO DE MIM




As águas do rio de mim




As águas do rio do mundo
estão as margens de mim
e misturam-se afins
e rasgam a minha carne

caminhos percorridos
entre gestos e permanências

:
da contemplação
sobram-se águas nuas

as águas
do mundo inteiro
estão dentro de mim
e o amor rasga o meu céu
e a vida continua

ALBERT ARAUJO
28-12-10
Postado também no site

VISTO-ME DE POESIA





Visto - me de poesia




Visto- me
de pedra e asfalto
e os meus ombros
estão intactas asas

visto-me
de paisagem e ventania
e os meus olhos
vêem a poesia (absoluta e sua verdade)

visto-me
de cimento e fumaça
e o meu coração
está concreto-intensa sabedoria


ALBERT ARAÚJO
28-12-10
Postado também no site oficial

27 de dezembro de 2010



Amor infinito amor



É sempre na maior parte:
que do sentimento doce
do amor infinito – ouve-se o grito

amor:
(revestimento) na intensa alma que vive o impossível
– o inevitável chão a sangrar
é chama e arde
sem alarde - e
nas estrelas está escrito

mergulhar
atar-se / medir o grau da lâmpada
que arranha o desejo

cada passo
todo desatino
cada laca
cada olhar
e toda a água pressente

mergulhar
atear-se ao fogo
do imensurável amor
que de infinito se acende


ALBERT ARAÚJO
27-12-10

22 de dezembro de 2010

Mensagem de Natal- a todos...




Mensagem de Natal a todos que entraram por aqui, principalmente à aqueles que deixaram sua marca, desejo a todos muita paz, saúde, sucessos tanto no profissional como espiritual, que deixemos as tristezas para traz, levando na lembrança apenas as alegrias. E olhemos firmes para o novo ano que se inicia, o que tristezas foi apenas provações divinas, o ano novo virá com um caminho cheio de felicidades, basta saber trilhá-lo, e nós somos capazes de encontrar este caminho, por isso força e coragem amigos, um lindo ano está chegando, vamos abraçá-lo e desejá-lo boa vinda. - abraços
ALBERTO ARAÚJO

20 de dezembro de 2010

A TORRE DO CASTELO





Suave torre
em explosão
em ondas e ocasos

Órbita que sangra
nos olhos emergidos
da paixão

É o céu
diante de mim, tudo é presságio
tudo tudo é bordado
em cetim a alma


Cores,
risonhas plagas
artefatos, cisne
e um ramo
de alecrim


ALBERT ARAÚJO
20-12-10

Site oficial:

www.albertaraujo.recantodasletras.com.br

15 de dezembro de 2010

TRILHAS DIAGONAIS (INSENSATEZ DO CORPO NU)





Madrugada, noite alta
e todo sussurro
compõe a lira
eu aqui te desejando
em cada broto e gomos

orvalhos:
trilhas diagonais
artefatos, rastros de insensatez
e as veredas flutuam
em milhões de melodias – e o
canto se desaba no ponto certo
da fotografia

páginas inteiras, glândulas
em atentas volúpias

e chuvisca suor
um avião, um tigre

o lóbulo incontido
e a pérgula viscosa
destilam tempestade
no arrecife
da concha exata

(e risca-se o fósforo...)

e uma resina translúcida
cheirando a sexo
singra a colméia
do corpo nu

sentimentos:
voam livres
como as gaivotas
as margens
da desabotoadura da camisa

e o amor se descalça
tal e qual
veemente
diante da vitrine

ALBERT ARAÚJO
Niterói - RJ
15-12-10
Visite meu site oficial:

DOCE DEZEMBRO






Há um universo - há um mundo
de contentamento
onde as estrelas desabam... (Dezembro)
suntuoso mês
que cheira alegria, poesia

e os olhos bebem
da vasta piscina a alvenaria

contida explosão
que alimenta natais
e no centro do alarde
a misericórdia se irradia


um anjo anuncia
o sudário da alma
para séculos sem fim

Dezembro:
toda a laca
toda a amendoeira
acende
o
estopim



ALBERT ARAÚJO
15-12-10
visite meu site oficial:

13 de dezembro de 2010

OS RIOS (TRANS)PARENTES









Os rios (trans)parentes




(sãos os rios)-os realejos
os bocejos, os noturnos, os vasos, as folhas, as pétalas
as seivas, os lápis, os alvoroços, as pedras
os húmus, as clivagens, os cabelos, as íbis
os sóis, os caminhos, os espelhos, os gozos, os ais

((são rios))- as âncoras
os escombros, as ciências, as minas gerais
os gostos, os insetos, as matemáticas
os hematófilos, os hemisférios

(((são rios))) – os segredos
os temporais, os mongolóides
os canaviais, os relógios, as semeaduras
as semânticas, os aspargos
os animais – os... as...
ALBERTO ARAÚJO
13-12-10

11 de dezembro de 2010

DES(A)LINHO




DES(A)LINHO



Perdoa
meu mundo
des(a)linhado, sei lá
até meio aguado
nos atos intempestivos

mais sou
um sujeito
que devora as ardências
do amor – sou uma flama
esmaltadas e tranquila
nos atos decisivos

sei não, mais
(eu te amo)


entro
na figura completa
da ânsia enlouquecida
da paixão

(um beijo-lampejo)

octógonos
desejos desde
o estômago ao último
fio de cabelo

ALBERT ARAÚJO
09-12-10

post também site:

ASPAS & BEIJOS





Aspas & beijos



Aspas:
lápis e cor
no jarro a flor................................lapso, lapidação &
a lânguida lantejoulada – aspas laqueadas

apetite voraz:
beijos aplacados
relicário & relvas................................. bocas & beijos
(reminiscências: no fêmur e na garganta......................
aspas laqueadas/(aspas...)



ALBERT ARAÚJO
11-12-10

post também meu site oficial:

RELICÁRIO (2)





O corte na
CARNE
e
o
poema corta
a “cerâmica”

- uma alma filosofando entre
o ser o nada- (asas da poesia)
e o tempo se corroeu


e o enigma da felicidade
aterrissa no contentamento

“um POETA amigo
se (re) constrói.@.com no além da
sabedoria/reli(cario)"


ALBERT ARAÚJO
11-12-10
post também site:


http://www.albertaraujo.recantodasletras.com.br/

6 de dezembro de 2010

O PESO DO VIVER



Viver não é uma tarefa muito fácil. Em todas as fases da vida os desafios se apresentam. Na infância, há os trabalhos escolares, as tarefas cada vez mais complexas. Na adolescência, perceber o mundo pode ser bastante doloroso. Na juventude, deve-se optar por uma profissão e desenvolver esforços para conquistá-la.

Na época da maturidade, surgem problemas com filhos e abundam
desafios profissionais. Na velhice, o balanço do que se viveu pode causar decepção, sem falar nas forças físicas em declínio. Permeando tudo isso, há problemas de saúde e amorosos, além dedificuldades com a família.

A vida é repleta de encontros e desencontros, de despedidas, lutas,
vitórias e fracassos. Dependendo do ângulo que se analisa, a vida pode parecer um castigo, um autêntico peso a ser suportado. E realmente os problemas são inerentes ao viver Desconhece-se alguém que tenha atravessado a existência sem enfrentar dúvidas e crises. Entretanto, viver é uma dádiva divina. Embora a vida também envolva dores e sacrifícios, ela não se resume nisso. Há a emoção do nascimento de um filho, a alegria de amar e ser amado, a beleza de um pôr-do-sol. Depende de cada um escolher quais aspectos de sua existência irá valorizar. É possível manter a mente focada na longa enfermidade que se atravessou, ou nas lições que com ela foram aprendidas. Podem-se destacar os esforços feitos em determinada direção, ou a satisfação da vitória. Conforme seja enfocado o aspecto positivo ou negativo das experiências, viver será algo mais ou menos leve. Mas há outro aspecto a ser considerado a respeito das dificuldades inerentes à existência humana. Como tudo no universo, os homens estão em constante aprimoramento. Todos são espíritos, em jornada para a amplitude. A existência terrena é um diminuto instante nessa maravilhosa viagem pelo infinito. Após estagiar por longo tempo na seara do instinto, a humanidade desenvolve sua razão e ruma para a angelitude. Para isso, necessita aprimorar sua sensibilidade, tornar-se valorosa e nobre. As experiências com que a criatura se depara voltam-se justamente a prepará-la para seu glorioso porvir. É preciso que os instintos gradualmente percam sua força, dando lugaràs virtudes. Assim, amar não mais como manifestação de posse, mas de forma sublime, preocupando-se em ver feliz o ser amado. Educar a própria libido, percebendo-a como energia criativa, em harmonia com o cosmo. Esquecer a tendência de dominar pela força, aprendendo a convencer pela lucidez dos argumentos. Abdicar da violência, desenvolvendo a afabilidade e a doçura. A vida chama as criaturas para um amanhã de luz, de paz e ventura. Ocorre não ser possível cultivar um jardim em pleno charco. Justamente por isso viver parece tão difícil. É que os homens são constantemente convidados a abrir mão de velhos vícios. Tanto maior seja a resistência em aprender a lição, tanto mais contundente ela será. Assim, se você quer ser feliz, desfrutar de bem-estar, passe a remar a favor da maré. Dome seus vícios, conscientizando-se de que eles é que o infelicitam e tornam sua existência penosa. Ame a vida, seja honesto, trabalhador, bondoso e puro. Em pouco tempo seu viver se tornará leve e prazeroso, pois você terá instalado um céu dentro de sua própria consciência.



Fonte:

Redação do Momento Espírita

4 de dezembro de 2010

SEMENTES



SEMENTES





Atiro sementes
devotadas ao tempo
e elas se difundem ao mar

e na prenhez
dos campos/vales
os meus dissabores

águas e rochas
espreitam-me

risco um fósforo – ainda
resta a esperança


ALBERT ARAÚJO
04-12-10

GUARDA SOL







Guarda Sol



Nas entrelinhas
da paisagem
o ócio se espalha

brisa entre os dentes
e a saliva fotografa
o beijo
o b
e
i
j
o

um pássaro
com suas asas
de pirilampos - sobrevoa a soleira


e no solo
bem incrustado ao mar
(as areias são cristalinas) o homem
de olhos escarlates
atira seus
gritos solitários



ALBERT ARAÚJO
04-12-10