25 de janeiro de 2011

COLHEITA MADURA




Colheita madura





“e o passarinho seguirá o caminho a fora...

e tudo que for poesia, virar-se-á cânfora – Albert Araújo”





 

quando eu sair

não fecha a porta - se acalma

um vento suave transitará

no incólume da minha alma



incomensurável sentir

e a veia se deflagrará ao perceber

que o rio se estancará



quando eu partir

não olha o meu sofrer – as tardes

irão sempre se alvorecer



espera o alvitre

da minha poesia

e não a minha dor



minha poesia supera todo o doer

quanto mais a gente lê - mais se encanta



pedido:

quando que me for

não deixe

a poesia se emudecer







©by Albert Araújo

25-01-11

post também site oficial:




 




Nenhum comentário:

Postar um comentário