4 de dezembro de 2010

SEMENTES



SEMENTES





Atiro sementes
devotadas ao tempo
e elas se difundem ao mar

e na prenhez
dos campos/vales
os meus dissabores

águas e rochas
espreitam-me

risco um fósforo – ainda
resta a esperança


ALBERT ARAÚJO
04-12-10

Nenhum comentário:

Postar um comentário