28 de dezembro de 2010

AS ÁGUAS DO RIO DE MIM




As águas do rio de mim




As águas do rio do mundo
estão as margens de mim
e misturam-se afins
e rasgam a minha carne

caminhos percorridos
entre gestos e permanências

:
da contemplação
sobram-se águas nuas

as águas
do mundo inteiro
estão dentro de mim
e o amor rasga o meu céu
e a vida continua

ALBERT ARAUJO
28-12-10
Postado também no site

Nenhum comentário:

Postar um comentário