1 de abril de 2011

UM AMOR DENTRO DE UM QUARTO



O amor dentro de um quarto




 

Um incomensurável amor

está dentro de um quarto – apojado

de fósforos e fluxos incontidos



algo além do céu

e mar

uma cratera de beijos abrasivos



se tão sei

crivadas de estrelas

daquelas que banham o infinito



fagulhas, arestas

e ângulos

no contra pulso da alma

e de soslaio o próprio grito



súbita lâmina faiscante

que risca o coração

e aquietar-se apenas

num púlpito aconchego

cheio de paisagens e abajures



sobretudo

dilatações de um trem descarrilado

o quanto apaziguado

muito mais que a fome de chuva

que te jures







©by Albert Araújo

01-04-11


Nenhum comentário:

Postar um comentário