9 de abril de 2011

INSENSATO CORAÇÃO



Insensato coração




O coração repica

ações insensatas

e no desenlear da insensatez

pontua-se... e acende um fósforo



:



o sol trafega

e dissipa toda a treva

- agora tudo é luz... o tempo

orbita sobre a concreta poesia

submergindo-se em delírios

os quais e tais a folha traduz

:



o amor

esse bem desejável de todos

- como o próprio grito já diz

tão logo;

um oceano de contentamento

engolfa-se com seu luminar

no píncaro da paixão



:



ó, que são tantas

as brisas

os orvalhos

as pétalas

construindo o amor

no totalitário coração


by Albert Araújo
09-04-11

Um comentário:

  1. Olá mestre Albert Araújo bom dia. Eita que esse e para ler e reler contemplando a riqueza lírica!Impssível ler e não comrntar sua obra... Aplausos para a magnífica inspiração. Bjs. Tuela

    ResponderExcluir