16 de abril de 2011

A MORTE DO VELHO MONGE





A MORTE DO VELHO MONGE





O rio Parnaíba está morrendo,

Cumprindo o "Velho Monge" a triste sina.

Banhando norte e sul de Teresina,

Queda-se em areal se desfazendo.



Palmeiras e cocais ali contendo,

Espalham-se às margens, na campina.

Extrai-se do caju a cajuína,

Que o povo brasileiro anda bebendo



Margeando o Poti, Poticabana,

O Cabeça de Cuia, diz a lenda,

Imerso "rio abaixo, rio arriba".



E o povo piauiense não se engana:

Mister se faz que ao monge se atenda,

Morrendo está o rio Parnaíba.


 

         

Hermílio Pinheiro de Macedo Filho
Brasília-DF



Link do texto na  página dele no Recanto das Letras, na oportunidade acessem, lá contém muitos textos bons.

http://www.recantodasletras.com.br/sonetos/1305845 


Este poema é do Hermílio Macedo Filho, colega do Recanto das Letras, por sinal ele inteligentissimo, produz cada texto legal, e este texto sobre o rio Parnaiba, rio que percorre o Piauí inteiro, a minha terra natal, o qual me sensibilizou bastante, então resolvi postá-lo aqui no meu blog, com a permissão do autor é claro. Parabéns Poeta, pela sua iniciativa. Alberto Araújo




Um comentário:

  1. Amigo,antes de mais tudo parabéns por este belíssimo Blog. Gratíssimo a você pela honrosa deferência. Um abraço, Hermílio.

    ResponderExcluir