27 de março de 2016

A RESSURREIÇÃO - CRISTO RESSUSCITOU, ALELUIA!!!



 
PÁSCOA

A PÁSCOA é a mais importante e também a mais antiga festa cristã e celebra a RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO. Desde a era apostólica, seu objetivo tem sido o foco no ato de redenção de Deus na morte e ressurreição de Cristo.

Sua origem está ligada à Páscoa judaica (Pessach) e ao Êxodo narrado no Antigo Testamento, principalmente através da Última Ceia e à crucificação, eventos que precederam a ressurreição. De acordo com o Novo Testamento, Jesus deu novo significado à ceia de Páscoa (judaica) quando ele preparou seus discípulos para sua morte no cenáculo durante a Última Ceia.
 
Ao instituir a Eucaristia, Jesus ligou o significado do pedaço de pão e da taça de vinho com seu corpo, que seria sacrificado, e com seu sangue, que seria derramado. Paulo pede em I Coríntios: «Purificai [Livra-te do] o velho fermento, para que sejais uma nova massa, assim como sois sem fermento. Pois, na verdade, Cristo, que é nossa páscoa, foi imolado» (I Coríntios 5:7). Assim, ele relaciona alegoricamente o cordeiro de Páscoa judaico (Korban Pesach), que é sacrificado neste dia, com Jesus, que se tornou o Cordeiro de Deus. Além disso, Paulo faz referência ao requisito judaico de se comer o pão ázimo (sem fermento) neste dia.


 

RESSURREIÇÃO E REDENÇÃO

 

Durante a era apostólica, a ressurreição era vista como a inauguração de um novo tempo. A tarefa de formar uma teologia da ressurreição coube a Paulo de Tarso, para quem não era suficiente repetir de forma simplória doutrinas elementares, mas sim continuar, como ele mesmo afirma em Hebreus, «deixando a doutrina dos princípios elementares de Cristo, passemos à perfeição.» (Hebreus 6:1) Assim, a conexão entre a ressurreição de Cristo e a redenção é fundamental na teologia de Paulo.[52] , pois ele entendia a primeira como a causa e a base da esperança de todos os cristãos de experimentar algo similar:

“ «Mas agora Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem [o primeiro a ser ressuscitado]. Pois desde que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Pois assim como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos serão vivificados.» (I Coríntios 15:20-22).

A Ressurreição de Jesus é o nome dado à fé cristã de que Jesus Cristo retornou à vida no domingo seguinte à sexta-feira na qual ele foi crucificado. É uma doutrina central da fé e da teologia cristã e parte do Credo Niceno: "Ressuscitou dos mortos ao terceiro dia, conforme as Escrituras".

No Novo Testamento, depois dos romanos terem crucificado Jesus, ele é ungido e sepultado num túmulo novo por José de Arimateia, ressuscitou dos mortos e apareceu para muitas pessoas durante um período de quarenta dias, quando então ascendeu ao céu para se sentar à direita do Pai. Os cristãos celebram a ressurreição no Domingo de Páscoa, o terceiro dia depois da Sexta-Feira Santa, o dia da crucificação. A data da Páscoa correspondeu, a grosso modo, com a Páscoa judaica, o dia de observância dos judeus associado com o Êxodo, que é calculado como sendo a noite da primeira lua cheia depois do equinócio.

A história da ressurreição aparece em mais de cinco diferentes locais na Bíblia. Em diversos episódios nos evangelhos canônicos, Jesus profetiza sua morte e posterior ressurreição, que ele afirma ser o plano de Deus Pai. Os cristãos veem a ressurreição de Jesus como parte do plano de salvação e redenção através da expiação pelos pecados do homem.


Estudiosos céticos questionaram a historicidade da ressurreição por séculos; por exemplo, "...o consenso acadêmico do século XIX e início do século XX descarta as narrativas sobre a ressurreição como sendo relatos tardios e lendários". Diversos estudiosos modernos expressaram suas dúvidas sobre a historicidade dos relatos sobre a ressurreição e continuam debatendo suas origens, enquanto que outros consideram os relatos bíblicos sobre o episódio como sendo derivados das experiências dos seguidores de Jesus e, particularmente, do apóstolo Paulo.

Os ensinamentos de Paulo se tornaram um elemento chave da tradição e da teologia cristãs. Ele ensinava que assim como os cristãos compartilham da morte de Jesus no batismo, eles também compartilharão de sua ressurreição.

 
Na oportunidade veja o filme que eu produzi
 "A VIA-SACRA" no link do You Tube:

 
 
 
 
 
 
FONTE:
 
 

 

 
 
 
 
COMENTÁRIO
 
 
 
Tudo isso é JESUS!!!
Chora ao ver a vida derrapar e atropelar direitos!!!
Tudo isso é JESUS!!!
Sofre, morre, ressuscita é glorificado ao céu!!!
Tudo isso é JESUS!!!
Sofreu a dor das chibatadas e perdoou a lágrima da dor!!!
Tudo isso é JESUS!!!
O pai que protege o filho e cuida com amor as suas cicatrizes!!!
E nós Alberto!!! Quem somos? No eletrizante choque de valores!!! Estilhaçados artistas de postura digna!!! Você, eu e todos os outros seres, usamos a sensibilidade que possuímos para aliviar a dor das chibatadas de Cristo!!!
Tudo isso é JESUS!!!
Da amiga.
Ângela.
 
ÂNGELA GEMESIO
é atriz, escritora e acadêmica.
 
 
 
 
AGRADECIMENTO
 
 
Este comentário da escritora, atriz Ângela Gemesio foi por esta revista classificado com 5 Estrelas. A artista nos tocou profundamente com suas gentis palavras.
 
Muito obrigado prezada amiga ÂNGELA por tão linda mensagem. E mais, por sua constante presença em nosso Portal. Nota-se que você é uma pessoa sensível e acima de tudo parceira, e que nos prestigia sempre.
Obrigado mais uma vez.
Abraços,
 
Alberto Araújo.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário