29 de julho de 2008

UM GRANDE AMOR











UM GRANDE AMOR



O meu amor...
Hei de crescer como as águas
Que tecem a natureza
Como o calor dos ninhos
Que aquecem os pássaros
O meu peito transformar-se-á
Em feltro absoluto
O meu intimo tragam ao mundo
Matérias vergônteas sólidas
Considerar o meu corpo como
Tua moradia
E o meu amor a tua felicidade
Intimidades...
Vidas vividas,
Escritas no livro da eternidade.


ALBERT ARAÚJO
29-07-08

Nenhum comentário:

Postar um comentário