10 de fevereiro de 2017

SANTA ESCOLÁSTICA, MULHER DE MUITA INTIMIDADE COM DEUS. DOOU, JUNTO COM SEU IRMÃO, TODA SUA VIDA PELAS ALMAS.



Santa Escolástica - Fundadora da Ordem das Beneditinas - 10/02 - Irmã gêmea de São Bento.

 
Santa Escolástica - Católica irmã de São Bento.
 
 
Hoje, recordamos o testemunho daquela que foi irmã gêmea de São Bento, pai do monaquismo cristão. Ambos nasceram em 480, em Núrsia, região de Umbria, Itália.



Santa Católica, nascida no Reino Ostrogótico.  Escolástica buscava a santidade desde muito jovem e conta-se que iniciou sua vida consagrada a Deus antes de seu irmão.




 

 

A história mais contada sobre ela é que Escolástica e Bento, por mortificação, se encontravam apenas uma vez por ano para diálogos santos. Num desses dias, pouco antes de sua morte, a santa pediu ao irmão que desta vez ficasse até o amanhecer, mas ele se recusou, insistindo que precisava voltar a sua cela.

Com a resposta negativa, Escolástica orou a Deus e, após alguns minutos, uma tempestade começou. Vendo a situação, Bento perguntou: "O que você fez?", ao que ela respondeu "Pedi a ti e não me ouvistes; pedi a Deus e ele me ouviu. Vá embora, se puder, e volte ao seu mosteiro".



 
Santa Escolástica


 
Santa Escolástica começou a seguir Jesus muito cedo. Mulher de oração, ela sempre foi acompanhando o irmão por meio de intercessão. Depois, ao falecer seus pais, ela deu tudo aos pobres. Junto com uma criada, que era amiga de confiança e seguidora também de Cristo, foi ter com São Bento, que saiu da clausura para acolhê-la. Com alguns monges eles dialogaram e ela expressou o desejo de seguir Cristo através das regras beneditinas.
 

São Bento discerniu pela vocação ao ponto de passar a regra para sua irmã e ela tornou-se a fundadora do ramo feminino: as Beneditinas. Não demorou muito, muitas jovens começaram a seguir Cristo nos passos de São Bento e de Santa Escolástica.


Santa Escolástica - Católica
irmã gêmea de São Bento.


Uma vez por ano, eles se encontravam dentro da propriedade do mosteiro. Certa vez, num último encontro, a santa, com sua intimidade com Deus, teve a revelação de que a sua partida estava próxima. Então, depois do diálogo e da partilha com seu irmão, ela pediu mais tempo para conversar sobre as realidades do céu e a vida dos bem-aventurados. Mas São Bento, que não sabia do que se tratava, por causa da regra disse não. Ela, então, inclinou a cabeça, fez uma oração silenciosa e o tempo, que estava tão bom, tornou-se uma tempestade. Eles ficaram presos no local e tiveram mais tempo.


A reação de São Bento foi de perguntar o que ela havia feito e desejar que Deus a perdoasse por aquilo. Santa Escolástica, na simplicidade e na alegria, disse-lhe: “Eu pedi para conversar, você não aceitou. Então, pedi para o Senhor e Ele me atendeu”.

 
Passados três dias, São Bento teve a visão de uma pomba que subia aos céus. Era o símbolo da partida de sua irmã. Não demorou muito, ele também faleceu.

 
 



 
 
 
 
 SANTA ESCOLÁSTICA, ROGAI POR NÓS!
 

 
 
 



 
 
 
 
COMENTÁRIOS
 
 
 
 
 
 
 
Os registros da história nos mostram o significado mais legítimo do amor fraterno, entre gêmeos, e a delicadeza do desenlace das vidas de São Bento e Stª Escolástica.

Mostra-nos igualmente a trajetória de dedicação e de muito amor ao próximo, destes ícones da construção do cristianismo, em sua era de ouro.

Resta-nos beber, nesta fonte cristalina, e copiar-lhes o sagrado exemplo, ainda que os tempos sejam outros, ainda que os dinheiros e os bens mundanos nos contagiem.
 
Temos uma última chance. Temos a benevolência do Santo Deus para a derradeira aventura.
 
Temos o livre arbítrio, legado pelo Pai, para a decisão final.
 
 
 
Luís Carlos Lemme.
 
 
 
 
 
 
 
********************** 

Um comentário:

  1. Os registros da história nos mostram o significado mais legítimo do amor fraterno, entre gêmeos, e a delicadeza do desenlace das vidas de São Bento e Stª Escolástica.
    Mostra-nos igualmente a trajetória de dedicação e de muito amor ao próximo, destes ícones da construção do cristianismo, em sua era de ouro.
    Resta-nos beber, nesta fonte cristalina, e copiar-lhes o sagrado exemplo, ainda que os tempos sejam outros, ainda que os dinheiros e os bens mundanos nos contagiem. Temos uma última chance. Temos a benevolência do Santo Deus para a derradeira aventura. Temos o livre arbítrio, legado pelo Pai, para a decisão final.

    ResponderExcluir