16 de maio de 2011





Tudo Passa
(Insensatez do poeta)


 
A alma do poeta
revigora-se na paisagem lunar

o brilho do seu olhar
têm os dias felizes

em cada curva
em cada passo
vê-se o probabilidade
de um antecedente eclíptico

a perceber-se que no final
tudo há de partir
 
:
 
sabe-se que tudo passa;
as cores
os sabores
as dores
as lágrimas
a alquimia do profeta
:
não somente
as vidraças coloridas
por onde se deixa
a insensatez do poeta

©by Albert Araújo
16-05-11 
 




Nenhum comentário:

Postar um comentário