17 de maio de 2011

O SIM DA POESIA (TANTO AMOR PELOS OS ASTROS)




O sim da poesia (tanto amor)



Foi das águas
prenhes e empertigadas
das auroras e crepúsculos
que surgi... E nas reservas
dos cometas e estrelas
que me criei





nascente e foz
doados do infinito
- ouçam o meu grito... aproveitei
o nascer da lua para voar
e espalhar o ar da poesia
pelo espaço sideral



:



e agora me perguntam!... o que sou?
e o que faço aqui?
- sou uma persona
com os olhos de poesias


:



toma a luz dos meus versos
afinal o meu lugar existe
e posso mostrar
a nascente e o poente do sol
de todos os dias
 


Um comentário:

  1. Que belo nascimento! Adorei a riqueza das imagens poéticas!!
    carinho,
    Nina Araújo

    ResponderExcluir