18 de julho de 2018

DESTAQUE DO DIA: A PARÁBOLA DA ROSA


 
 


 

 
 
 
 
A PARÁBOLA DA ROSA

 

Um homem havia plantado uma rosa e a regava constantemente para que crescesse bem. Antes que ela desabrochasse, ele a examinou e observou o botão, que em breve desabrocharia. Ele, então, notou espinhos sobre o talo e pensou: “Como pode uma flor tão bonita estar cercada de espinhos tão afiados?”

 

Ele se entristeceu profundamente, e se recusou a regar a rosa e, antes mesmo de estar pronta para desabrochar, a flor morreu.

 

Assim é com muitas pessoas. Dentro de cada alma existe uma rosa: são as qualidades dadas por Deus. Dentro de cada alma temos também os espinhos: são as nossas falhas.

 

Muitas vezes, quando examinamos a nós mesmos, vemos somente os espinhos e os defeitos. Desesperamos-nos ao pensar que nada de bom pode vir de nosso interior. Recusamos-nos a regar o bem dentro de nós e, consequentemente, morremos. Não somos capazes de observar nosso próprio potencial.

 

Nós nos recusamos a regar o bem dentro de nós, e consequentemente, isso morre. Nunca percebemos o nosso potencial.

 
 
 

 

 
MORAL DA HISTÓRIA
 
Algumas pessoas não veem a rosa dentro delas mesmas. Portanto, alguém mais deve mostrar a elas.
 
Um dos maiores dons que uma pessoa pode possuir ou compartilhar é ser capaz de passar pelos espinhos e encontrar a rosa dentro de outras pessoas. Esta é a característica do amor.
 
Olhar uma pessoa e conhecer suas verdadeiras faltas. Aceitar aquela pessoa em sua vida, enquanto reconhece a beleza em sua alma e ajudá-la a perceber que ela pode superar suas aparentes imperfeições.
 
Se nós mostrarmos a essas pessoas a rosa, elas superarão seus próprios espinhos. Só assim elas poderão desabrochar muitas e muitas vezes.
 
 
 
 
 
 
 
Portanto, sorriam e descubram as rosas que existem dentro de cada um de vocês e das pessoas que amam…
 
Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor." (1 Coríntios 13:13).
 

 
Autor desconhecido
 
 
 
 
 

Retirado do livro: Sabedoria em Parábolas do Professor Felipe Aquino (org.). Ed. Cléofas.
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário: