6 de agosto de 2015

UM MOMENTO DE MINHA INFÂNCIA UMA POESIA DE GILSON RANGEL ROLIM EM HOMENAGEM AO DIA DOS PAIS. CONFIRA.


 
 
A estação de Macaé em 1923,
(O Malho, 2/6/1923).
 
 
 
UM MOMENTO DE MINHA INFÂNCIA
 
 
 
 
Um dia quente,
de sol escaldante,
lá íamos nós buscá-lo na estação.
Pelas ruas de terra,
sob a sombra das árvores,
lá íamos a caminhar apressados.
 
Era uma espera ansiosa,
que o trem atrasado
fazia mais enervante.
Nos velhos bancos, sentados,
a olhar antigos cartazes,
lá estávamos a esperar por ele.
   
O relógio parecia mais lento,
a cada atraso marcado
na lousa já bem usada.
Olhávamos da plataforma
os trilhos que fugiam
pra lugares distantes.
 
 
 
 
. . .
 
O sino bate apressado.
O nosso coração se agita.
Era o sinal de chegada...
A velha locomotiva,
a demonstrar seu cansaço
arrasta-se perto da gente.
 
Ali estava ele,
no guarda-pó empoeirado,
a correr para nós.
Era o grande momento.
Abraçar o pai que chegava,
mais uma vez, na velha estação!
 
 

A estação de Macaé em 1923,
(O Malho, 2/6/1923).

 
 
 
TEXTO HOMENAGEM,
DO ESCRITOR E POETA
GILSON RANGEL ROLIM,
NITERÓI - RJ.
POSTADO EM AGOSTO/2015,
POR ACASIÃO DO DIA DOS PAIS.
 
 
 
 
Gilson Rangel Rolim - Escritor.
 
 
 

Gilson Rangel Rolim - Nasceu em 13 de abril de 1929, na cidade de Mimoso do Sul - ES, filho de Lauro de Azevedo Rolim e Maria Izabel Rangel Rolim. Deixou a cidade natal aos dois anos, seguindo para a localidade de Chave de Santa Maria, no município de Campos. Em 1934 veio para Niterói, onde permaneceu até 1939. De janeiro de 1940 a agosto de 1943 residiu em Macaé, período marcante de sua vida: a pré-adolescência. Deixando Macaé, por falecimento de sua mãe, retornou a Niterói. Cursava o terceiro ano ginasial no Ginásio Municipal de Macaé quando da mudança. Já na antiga capital fluminense, completou o ginasial no Colégio Plínio Leite. Em 1945, as circunstâncias levaram-no a trabalhar de dia e estudar à noite; mudou-se, então, para o Rio, capital federal na época. Após três anos na Academia de Comércio do Rio de Janeiro (Cândido Mendes), obteve o grau de Contador, equivalente, hoje, ao de Ciências Contábeis. Em setembro de 1947 voltou a residir em Niterói, permanecendo até hoje.
 
VIDA LITERÁRIA
 
Em 1954, no Diário do Povo, escreve as primeiras crônicas de cinema; foram, apenas, alguns meses. Em setembro de 1961, a convite de Carlos Couto, passa a colaborar com o semanário PRAIA GRANDE EM REVISTA, como crítico cinematográfico, atividade que manteve durante o pouco mais de um ano que teve o PGR. Em 1965 escreveu o poema O GRITO o qual, devidamente traduzido para o Inglês, foi enviado ao Pastor Martin Luther King Junior. Em carta pessoal, que o autor guarda com carinho, o grande líder agradeceu essa colaboração a sua luta. Em 1966 e 1967 teve seus primeiros poemas publicados em O Fluminense, na seção Prosa & Verso, então sob a direção de Sávio Soares de Sousa.
Em 1968, é selecionado para a final do Festival Fluminense da Canção (O Brasil Canta no Rio), transmitido pela TV Excelsior, com a canção Eu Andei Pelo Mundo, musicada por Frederico Leite Pereira; o resultado final deu-lhe o oitavo lugar entre as trinta e seis finalistas.
Seus trabalhos literários vão sendo guardados até que, em 1988, sob o patrocínio da empresa NITRIFLEX, tem publicado o livro ALGUNS VERSOS, ALGUMA POESIA, que teve boa receptividade entre os críticos de nossa cidade. Depois desse, e até que viesse a publicar O TEMPO NEM ME VIU PASSAR, em 2004, publicou artesanalmente com divulgação em âmbito restrito, os seguintes livros: Mais ALGUNS VERSOS, ALGUMA POESIA Talvez (1991), PROSA, VERSOS & ETC (1997), Um Pouco Mais de PROSA, VERSOS & ETC (1999) e CONTOS, VERSOS & OUTROS ESCRITOS (2002). Em 2005, lançou o livro REVIVENDO MEUS PASSOS (Retalhos de Memória). Em maio de 2006, lançou o livro DOIS MOMENTOS, de prosa e versos, com prefácios de Sávio Soares de Sousa para os versos, e de Antonio Soares para a prosa. Fez acompanhar este livro de uma coletânea de versos que intitulou VERSOS A GRANEL. Ainda em 2006, escreveu uma sinopse do famoso romance de José Cândido de Caravalho, O Coronel e o lobisomem. Em 2008, publicou UM SIMPLES CURSO D’ÁGUA, em 2009, ESTAÇÃO OITENTA e, em 2010, NA POEIRA DO TEMPO, PUXANDO CONVERSA e o mais recente livro: APANHADO DE MEUS ESCRITOS, publicado pela Editora Nitpress.
Além de trabalhos literários, escreveu um pequeno livro profissional intitulado ELEMENTOS BÁSICOS DE CONTABILIDADE PARA PROFISSIONAIS DE OUTRAS ÁREAS. É acadêmico titular da Academia Niteroiense de Letras, desde a posse em 12 de setembro de 2004. É também membro da Academia Brasileira de Literatura desde 2008. Paralelamente a essa atividade literária, e intimamente ligada a ela, produziu composições musicais de caráter popular (letra e música), em alguns casos em parceria com seu professor, o consagrado e saudoso músico Sylvio Vianna, seu amigo e professor. Em 2006, fez palestra sobre o Centro de Niterói, dentro do VIII Curso de História de Niterói, do IHGN. Muitos de seus trabalhos tem sido publicados no jornal UNIDADE, do qual é assíduo colaborador.
 

 
 
FELIZ DIA DOS PAIS!
 
****************
 
 
Vem aí.
do mesmo autor do poema acima,
uma carta enviada por ele
ao grande líder dos direitos civis.
 
 
 
Martin Luther King Jr.
que foi um pastor protestante e ativista político estadunidense. Tornou-se um dos mais importantes líderes do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, e no mundo.
 
 
 
Aguarde! 
 
 
******************************************* 
 



COMENTÁRIOS DE PERSONALIDADES
AMIGAS DO BLOG ALBERTO ARAÚJO 7 AMIGOS.




Parabéns Alberto! Trabalho magnífico!
Nicoleta Rebel.

*********************************************

Parabéns ao Gilson Rolim,
sempre bom com seus versos claros e sensíveis.
 
Carlos Rosa Moreira
escritor
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário