20 de dezembro de 2013

NATAL - POESIA DO TROVADOR E POETA JOSÉ PAIS DE MOURA SIMÕES.


(Clicar na imagem para assistir ao filme)


 
 
N A T A L
Dezembro, mês natalício.
Em Belém, sobre palhinhas, o Deus-Menino nasceu, é adorado.
Seu olhar doce, cândido.
A Mãe Celestial o afaga.
Imponentes, os Reis Magos o adoram, veneram.
Louvado seja!
Nos campanários, os sinos repicam de lés a lés.
Templos apinhados.  Mãos erguidas. A fé move montanhas.
O amor ao próximo transborda.
Festivo o Universo.  A multidão em corrupio.
Papai-Noel e seu cajado, de casa em casa...
Presentes enlaçados coloridos a descoberto.
Crianças, velhinhos... derramam lágrimas prazerosas.
Árvores natalinas reluzentes, o casario, as ruas, avenidas...
A mesa será farta.  Presente, o Todo Poderoso.
A canção Jingle Bells cantada, ecoa.
Porém, sem pejo... o ódio, a corrupção, em corações maléficos.
Armas bélicas numa saga mortífera, destruidora...
Parar quando?
Que pena! Que pena, o Natal num só dia!
Iguais dias... No dia-a-dia...
As armas paralisavam, enferrujavam...
Os sinos?  Já não!
 
 
José Pais de Moura Simões
e-mail:
Tel. (21) 2711-2570
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário