8 de março de 2010


SOB O OLHAR DE DEUS

Sob o olhar criativo de Deus, os seres se ensaiam para a vida, adquirindo saberes capazes de os elevar aos mais altos cimos da felicidade...

Sob o olhar amoroso de Deus, as criaturas se movimentam nas mais diversas atividades planetárias, aprendendo e ensinando, caindo e levantando, errando e acertando, no rumo do progresso infinito.

Sob o olhar atento de Deus, os seres se reproduzem e se destroem, se multiplicam e adquirem as experiências necessárias para a conquista de si mesmos...

Sob o olhar compassivo de Deus, homens se tornam lobos do próprio homem, destroem vidas, roubam esperanças, se escravizam aos bens terrenos, e caem nos precipícios cavados pela própria incúria...

Sob o olhar discreto de Deus, homens pesquisam as causas das enfermidades, das desigualdades sociais, das catástrofes e calamidades que assolam o mundo, na tentativa de minorar sofrimentos e aumentar o bem-estar comum.

Sob o olhar misericordioso de Deus, os homens estertoram sob o aguilhão da dor que a si mesmos impuseram em tempos de tirania, de vilania e outros tantos desatinos, todos filhos do egoísmo...

Sob o olhar piedoso de Deus, os homens brincam de ser Deus...

Fazem guerras... em nome de Deus...

Eliminam vidas... em nome de Deus...

Levantam barreiras religiosas que separam os povos... Em nome de Deus...

Crêem que tudo sabem, tudo dominam, tudo podem...

Sob o olhar jubiloso de Deus, os seres se detêm um instante diante da imensidão azul, percebem a própria inferioridade e dão o primeiro passo na direção da grande luz...

Sob o olhar caridoso de Deus, os homens duvidam do Criador, das suas soberanas leis, da sua justiça, do seu infinito amor...

Sob o olhar magnânimo de Deus a humanidade avança, ora tropeçando aqui, ora ali, levantando sempre e caminhando sem cessar, rumo à liberdade definitiva...

Sob o olhar terno de Deus, os homens vencem a ignorância, desenvolvem a justiça e aprendem a amar sem condições...

***

A lei natural ou lei divina está inscrita na consciência de cada um de nós e é a única que indica o caminho verdadeiro para a felicidade plena.

Indica o que devemos fazer ou deixar de fazer, e só somos infelizes quando delas nos afastamos.

Todos fomos criados para a perfeição.

Mas para atingir essa perfeição, três coisas são necessárias: a justiça, o amor e a ciência. Três coisas lhe são opostas e contrárias: a ignorância, o ódio e a injustiça.

Portanto, vale a pena envidar esforços para desenvolver no íntimo esse sol interior chamado amor, adquirir sabedoria e cultivar a justiça, para que nosso amanhã seja pleno de venturas.

Pensemos nisso e sigamos em frente..., sempre sob o olhar de Deus...


Equipe de Redação do Momento Espírita, com base nos itens 614 e 1009 de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec

Nenhum comentário:

Postar um comentário