24 de novembro de 2014

SOMOS QUEIJO GORGONZOLA - POR MAITÊ PROÊNÇA.




SOMOS QUEIJO GORGONZOLA



Estamos envelhecendo, estamos envelhecendo, estamos envelhecendo, só ouço isto. No táxi, no trânsito, no banco, só me chamam de senhora. E as amigas falam “estamos envelhecendo”, como quem diz “estamos apodrecendo”. Não estou achando envelhecer esse horror todo. Até agora. Mas a pressão é grande. Então, outro dia, divertidamente, fiz uma analogia.

O queijo Gorgonzola é um queijo que a maioria das pessoas que eu conheço gosta. Gosta na salada, no pão, com vinho tinto, vinho branco, é um queijo delicioso, de sabor e aroma peculiares, uma invenção italiana, tem status de iguaria com seu sabor sofisticadíssimo, incomparável, vende aos quilos nos supermercados do Leblon, é caro e é podre. É um queijo contaminado por fungos, só fica bom depois que mofa. É um queijo podre de chique. Para ficar gostoso tem que estar no ponto certo da deterioração da matéria. O que me possibilita afirmar que não é pelo fato de estar envelhecendo ou apodrecendo ou mofando que devo ser desvalorizada.

Saibam: vou envelhecer até o ponto certo, como o Gorgonzola. Se Deus quiser, morrerei no ponto G da deterioração da matéria. Estou me tornando uma iguaria. Com vinho tinto sou deliciosa. Aos 50 sou uma mulher para paladares sofisticados. Não sou mais um queijo Minas Frescal, não sou mais uma Ricota, não sou um queijo amarelo qualquer para um lanche sem compromisso. Não sou para qualquer um, nem para qualquer um dou bola, agora tenho status, sou um queijo Gorgonzola.
 
O gorgonzola é uma variedade de queijo azul fabricado com leite de vaca, originário da localidade de Gorgonzola, nos arredores de Milão, na Itália.
 
 
Maitê Proença - atriz e escritora
 
Maitê Proença Gallo  nasceu em São Paulo no dia  28 de janeiro de 1958, é uma atriz, apresentadora de televisão e escritora brasileira.
Considerada por muitos, uma das mais belas atrizes brasileiras, já foi capa de revistas masculinas, como a edição brasileira da revista Playboy. Foi uma das raras mulheres a ganhar um suplemento especial na revista. Em 1987, após tantas recusas de convites para posar nua, finalmente aceitou, tornando-se um dos maiores símbolos sexuais do Brasil. A edição vendeu 630 mil exemplares, o maior número de vendas no mercado editorial até então. Posaria uma segunda vez, em 1996, aos 38 anos, na belíssima paisagem da Sicília, e reconfirmaria o sucesso, desta vez, a revista alcançou a marca dos 720 mil exemplares vendidos.
Filha de Margot Proença e Augusto Carlos Eduardo da Rocha Monteiro Gallo, Maitê Proença nasceu em São Paulo e passou sua juventude em Campinas. Tem origem portuguesa, sendo seu avô materno e seu avô paterno portugueses.  Aos cinco anos de idade, foi matriculada na Escola Americana de Campinas, que era destinada principalmente a filhos de norte-americanos residentes no Brasil.
O ano de 2003 foi marcado pela sua estreia na revista Época com uma coluna de crônicas. Após quase 25 anos de carreira, Maitê revelou seu talento também para a literatura. As crônicas escritas quinzenalmente conquistaram o público por seu estilo franco, delicado e inteligente. Simultaneamente, destacou-se na temporada daquele ano do seriado adolescente Malhação e também rodou o filme Jogo Subterrâneo.
No final de março de 2008, lança o livro Uma Vida Inventada, que fica em 1º lugar no ranking da revista Veja, além de permanecer inúmeras semanas entre os 10 mais vendidos na categoria Ficção. Viaja pelo Brasil lançando o livro em diversas cidades.
Com o texto de As Meninas pronto, começa a montagem da peça. Em junho, viaja para Bali, na Indonésia, para as gravações da novela Três irmãs, de Antônio Calmon, com direção de Dênnis Cavalho, interpretando Walkíria.
"Adoro o trabalho, o clima é o melhor que já vi em muito tempo. Não há peso, olhares enviesados, palavras irônicas, diz que disse por trás. Nada! Mérito nota 1000 do Dênnis, que sabe escolher elenco e equipe como ninguém. Uma alegria! Vou para as gravações como quem vai ao parque de diversões!". – Diz: Maitê.
 
LITERATURA
2003/04 - Crônicas para a Revista Época
2005 - Entre Ossos e a Escrita
2006 - Achadas e Perdidas
2008 - Uma Vida Inventada: Memórias Trocadas e Outras Histórias
2008 - As Meninas (parceria com Luís Carlos Góes).
 
 
 

 

4 comentários:

  1. Nasceu em 58, é menina nova...Né Gorgonzola não, tá no auge da cura.
    Carlos Rosa

    ResponderExcluir
  2. Além de linda ela é excelente atriz e escreve deliciosamente bem.
    Abs

    ResponderExcluir