18 de setembro de 2012

ESTAMPAS DE LUA - POESIA DE ALBERTO ARAÚJO

 
 
 
siga o link da poesia
 
 






Estampas de lua
 
 
É noite, a lua sorri...
e anuncia com seus clarins que:
suas estampas são abissais,
que o seu cântico alivia as dores,
e seu silente amor engana o vazio
e atravessa as paredes, os ouvidos...
 
Sabe-se que certas cidades
têm as estradas longas demais,
mas na transbordante aurora
a fonte da flor do amor está bordado
e o passaredo traz alumbramentos.
 
Quanto ao suor da noite
numa brevidade explosiva
traduzirá o sorriso em nossas mãos.
 
:::
 
Conchas acústicas
Assim veemente, rasgam os pensamentos.
 
E tudo por conta do vício do amor,
Abunda-se em certezas.
 
As luzes da pele macia se acendem
e afirmam que tudo na vida é absoluto demais.
 
Dos meus bravios sois;
do meu poético abajur;
vejo que existe CÉU:
E a cabeceira do rio mora em mim.
 
Nasci da esplendida arte poética,
E tenho a certeza que:
o mundo e suas folhas
durante breves dias,
em total alumiação unirão os corações.
 
©by Alberto Araújo.
18-09-12
 
 
 
 
 
acesse os sites:
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário