7 de maio de 2021

PRIMEIRA SEXTA-FEIRA DO MÊS CELEBRAMOS O SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

 


 

JESUS CRISTO, O SAL DA TERRA E A LUZ DO MUNDO

 

Jesus Cristo, o Sal da Terra e a Luz do Mundo.

Fonte abençoada e de imensurável Amor.

Em tudo Cristo é verdadeiro e permanente.

Tanto na alegria e na dor, Ele está presente!

Verbo Divino: Onipresente; Onipotente; Onisciente.

 

Jesus Cristo, Santo Remidor.

Mestre dos Mestres; Salvador.

Manancial de essência eternal.

Capacitado a ressuscitar o mortal.

Por todos nós, morreu na CRUZ.

Benditos e Santificados Sal e Luz!

 

Jesus Cristo Misericordioso.

Caminho real e constante.

O Trilho Santo Glorioso.

A Paz eterna no coração pulsante.

Jesus Cristo, a dose certa,

para a cura do coração.

Santificado seja o Seu nome

e a Sua abençoada oração.

 

O Bom Pastor. O Acesso Imprescindível

para se alcançar o Amor sem medida.

JESUS, alegria certeira em nossa vida.

É a grande entrada para serenidade

e a saída correta da vida perdida.

 

No evangelho de Mateus, capítulo 5, dos versículos 1 ao 16,  

“Vós sois o sal da terra.../ Vós sois a luz do mundo” (v.13,14).

Permaneces com Jesus de Nazaré.

Revigoras a tua fé. Não temas a nada...

Abras o teu coração e deixas

o Redentor penetrar na tua morada.

Isto é algo devotado e fecundo.

Jesus Cristo, o Sal e a Luz do mundo...

 

Jesus Cristo está conosco,

em todos os dias, seja frio ou calor.

Nós O adoramos com o mais íntegro,

abençoado e incomensurável Amor!

 

By ©Alberto Araújo

escritor e poeta


POSTADA NO SITE OFICIAL DO ESCRITOR E POETA ALBERTO ARAÚJO. 

LER COM O SOM. CLICAR NO LINK:

https://albertaraujo.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=7145385

 

 

 

2 de maio de 2021

EU SOU A VIDEIRA VERDADEIRA, E MEU PAI É O AGRICULTOR.TODO RAMO QUE, ESTANDO EM MIM, NÃO DÁ FRUTO... João 15:1-12.

 

 


 

EU SOU A VIDEIRA VERDADEIRA, E MEU PAI É O AGRICULTOR.TODO RAMO QUE, ESTANDO EM MIM, NÃO DÁ FRUTO... João 15:1-12.

 

"Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor.

2Todo ramo que, estando em mim, não dá fruto, ele corta; e todo que dá fruto ele poda, para que dê mais fruto ainda.

3Vocês já estão limpos, pela palavra que tenho falado.

4Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto se não permanecerem em mim.

5"Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma.

6Se alguém não permanecer em mim, será como o ramo que é jogado fora e seca. Tais ramos são apanhados, lançados ao fogo e queimados.

7Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e será concedido.

8Meu Pai é glorificado pelo fato de vocês darem muito fruto; e assim serão meus discípulos.

9"Como o Pai me amou, assim eu os amei; permaneçam no meu amor.

10Se vocês obedecerem aos meus mandamentos, permanecerão no meu amor, assim como tenho obedecido aos mandamentos de meu Pai e em seu amor permaneço.

11Tenho dito estas palavras para que a minha alegria esteja em vocês e a alegria de vocês seja completa.

12O meu mandamento é este: Amem-se uns aos outros como eu os amei.

 

1 de maio de 2021

1º DE MAIO, DIA DE SÃO JOSÉ OPERÁRIO, O TRABALHO É A VOCAÇÃO DO HOMEM.

 


A Igreja comemora, no dia 1º de maio, a festa de São José Operário, e o Papa Francisco aproveita a oportunidade para fazer uma reflexão sobre o valor do trabalho. Leia a seguir. “Se, há mais de 2000 anos, alguém perguntasse quem poderia conhecer um bom artesão para consertar a rachadura no telhado de madeira da sua casa, os habitantes de Nazaré teriam indicado, provavelmente, a carpintaria do galileu, chamado José, esposo de Maria e pai de Jesus. José era um humilde carpinteiro que trabalhava, honestamente, para sustentar a sua família.

 

A festa litúrgica de São José Operário foi instituída por Pio XII, em 1º de maio de 1955. Naquela ocasião, o Papa disse: “Queridos trabalhadores e trabalhadoras, vocês aceitam este presente? Tenho certeza que sim, porque o humilde artesão de Nazaré não representa apenas, para Deus e a Santa Igreja, a dignidade de um trabalhador braçal, mas também e sempre o padroeiro de vocês e de suas famílias.

 

A festa de São José Operário é, portanto, o Dia do Trabalhador. Em 1º de maio de 2020, na celebração da manhã transmitida ao vivo da capela de Santa Marta, o Papa Francisco lembrou que “o trabalho humano é a vocação do homem recebida de Deus no final da criação do universo.”

 

A Bíblia e os trabalhadores.

 

Na Bíblia encontramos também citações de profissões e trabalhadores. O trabalho de carpinteiro, como afirma Silvia Giovanrosa, não era um dos mais comuns na Palestina, na época de Jesus. Ao artesão não competia apenas a produção de artefatos de madeira, como mesas, cadeiras e outros móveis, mas também a produção de vigas, pranchas e estruturas de madeira, necessárias para a construção das casas.

 

Na época, a profissão mais popular era a de agricultor. As pessoas trabalhavam por dia: começavam cedo e acabavam de noite.

 

Os primeiros Apóstolos, chamados para seguir Jesus, eram pescadores: Pedro, André, Tiago e João lançavam suas redes no lago de Tiberíades; a pesca no mar cabia aos fenícios. “Eu vos farei pescadores de homens”, disse-lhes Jesus. Na verdade, o trabalho de pescador exigia paciência, espera, vigilância, até nas noites mais escuras, para depois, na hora certa, lançar as redes.

 

Além disso, muitos trabalhavam também como comerciantes, ferreiros, oleiros. Os Escribas ensinavam nas Sinagogas; os publicanos eram cobradores de impostos.

 

A Bíblia cita também outros tipos de trabalhadores como os pastores, que viviam à margem da sociedade e eram considerados impuros e não confiáveis, ​​porque estavam em contato com animais. Eles forneciam ovelhas para os sacrifícios no Templo, onde não podiam entrar.